Keep calm e vamos viajar! (Parte II)

Segue então os relatos da viagem! Após todas aquelas situações novas e diferentes, aos poucos você acaba se adaptando. Então duas pessoas e quatro malas gigantes, saíram de Roma para a cidade onde iríamos ficar, foi terrível! Quem me conhece, sabe o meu tamanho. Eu sou bem pequena e para complementar, também sou bem desastrada! Pegamos o metro até Roma Termini, lugar onde embarcamos em um trem para chegarmos na cidade  onde ficaríamos. Agora imaginem subir e descer do metro, cada um com duas malas muito grandes! E depois descer e subir do trem, pois tivemos que pegar mais de um para chegar. E tudo muito rápido e com muita gente envolta! Eu não sei como não cai,  eu realmente me superei! Depois de muito suor e algumas horas chegamos onde deveríamos chegar!

 Quando você sai da sua zona de conforto e vai para um lugar totalmente diferente do seu, aos poucos você muda junto, e se incorpora ao novo ambiente. Mas tinha um sério problema, a língua!  Como todos sabem, nenhum dos dois falava Italiano, então a comunicação era bem complexa. A começar por um simples café. Sim, um simples café. Também achamos que seria fácil, mas tentamos por mais de 3 vezes pedir café, café com leite mais precisamente, mas em todas as situações ganhávamos um expresso que vinha praticamente um dedo na mini xícara. E como não sabíamos como reclamar, tomávamos quietinhos e íamos embora frustrados e sem café suficiente. (haha)

 Teve um dia que chegamos a pedir em dois lugares diferentes e desistimos, pois a mesma mini xícara com o dedo de café nos era dado. Fomos ao mercado e compramos nescafé e passamos a tomar só em casa. Depois de algum tempo, uma moça que conhecemos aqui na Itália, que também era brasileira, disse que o único modo que ela conseguiu um café maior e com leite, foi pedindo capuchino, e assim, passamos a fazer igual! Claro que cada lugar novo que íamos era diferente, sempre com o Google tradutor junto para nos ajudar. Todos os lugares que fomos comer, para que pudéssemos entender os menus dos restaurantes, precisávamos consultar o Google, pois não fazíamos ideia do que eram os ingredientes que faziam parte do prato. Tem umas coisas bem esquisitas, manteiga é “burro”, pão macio aqui na Itália é “Pane Morbido” e mórbido com certeza não me remete a algo macio…(haha) Aos poucos você começa a entender melhor, não tão bem, mas bem o suficiente. Falar já é outra questão, mas nada que o tempo não ajude também.

Depois de tudo ajeitado, fomos conhecer as redondezas. Próximo a cidade que estávamos, acabamos conhecendo um lugar impressionantemente lindo. Já era primavera e a cidade onde ficamos era no litoral, com belíssimas praias por sinal, então não dava pra acreditar no lugar que iríamos conhecer naquele dia, já que o mesmo  ficava a somente 40 km da cidade que estávamos. O lugar era Prati di Tivo, um local de montanhas, que fica na região de Abruzzo, que fica da cidade de Pietracamela, na província de Teramo. Eu sempre fui encantada com a neve, e aquele dia pude me esbanjar na quantidade que vi! Fomos de carro até o lugar que ficava no alto de uma montanha extremamente enorme. Portanto, para chegar até lá tínhamos que subir a montanha, e a rua era em curvas, lindas curvas bem fechadas.

Eu passo mal em carro, ônibus, barco, qualquer coisa, passo mal até mesmo para ir até na esquina de carro, e não estou exagerando, agora imaginem subindo uma montanha em curvas fechadas. Como não vendem dramim aqui, comprei umas pastilhas que definitivamente não funcionaram nada! Não preciso dizer mais nada não é? Na primeira curva, deixei o café da manhã, e fui meio verde até o pico da montanha. Mas chegando lá, vi que valeu a pena. O lugar era lindo, tirado das cenas de filmes! Montanhas enormemente grandiosas, cobertas de neve, tudo branco ao meu redor, inclusive eu, por passar tão mal! (Haha)

Lá no topo possui um bar onde você pode tomar alguma coisa quentinha para se aquecer, mesa para sentar e apreciar a vista, é muito legal, um programa realmente incrível de se fazer.

 O lugar era demais mesmo. Havia hotéis por perto para quem quiser ficar por ali mesmo, no meio da neve, restaurantes, lugar para alugar esqui e outros acessórios! Subimos mais alto, mas dessa vez de teleférico. Que paisagem linda, uma visão incrível daquelas imponentes montanhas! Enquanto subíamos, dava para ver os esquiadores aproveitando o dia, descendo da montanha. Confesso que até deu vontade de praticar o esporte, mas ai você começa a se imaginar quebrando uma perna ou um pescoço e logo a vontade passa. Ao menos foi o que me passou pela cabeça e levou junto a tal vontade, o teleférico já estava ótimo!(hahaha)

Você acha que não pode ficar melhor, mas quando você chega lá em cima, vê que pode ficar. Tanto que ficou. Nunca caminhei na neve, nunca tinha visto tanto gelo e neve juntos. Os olhos doem, o frio congela, o vento machuca, mas você ainda assim está radiante! A beleza daquele lugar é única, ao menos foi para mim. Você se sente no topo do mundo, e vê com seus olhos o quão grandioso ele é! E ao mesmo tempo, ao lado de todas aquelas imponentes montanhas você percebe o quão pequena é, e o quanto tem para conhecer e aprender. O mundo é um lugar curioso e com tanta beleza e às vezes esquecemos que apesar de não o conhecermos de perto, ele faz parte da nossa realidade e está ali a nossa disposição. E a sensação de poder ver, assim de pertinho um pedaço tão incrível desse nosso mundo, é realmente indescritível! Na grandiosidade daquele lugar me senti enormemente grata por poder estar lá, e ansiosa por poder ver mais do que o mundo tem para nos oferecer.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta