O amor próprio é a sua melhor defesa.

Descobri algo tão valioso, mas que por algum motivo eu havia esquecido, então pode-se dizer que a partir de hoje eu o redescobri. Ele pode nos ajudar e muito, o inestimável amor próprio. Alguns podem achá-lo uma forma egoísta de amor. Em exagero acredito que seja mesmo, assim como qualquer outra coisa que em excesso, pode se tornar prejudicial, mas na dose certa, o amor próprio nos protege de muita coisa.

Às vezes, algumas pessoas têm determinadas atitudes que parecem tomadas exclusivamente para nos machucar. Pode não ser intencional, mas às vezes, aparenta que com toda certeza não foi sem querer. Muitas vezes os culpados somos nós mesmos, que idealizamos pessoas que não são como dizem ou acreditamos que são, ou simplesmente não agem de acordo com as palavras que saem de suas bocas, e assim, acabamos por nos decepcionar.

O ponto no qual quero chegar, é que precisamos entender que ninguém te atinge se você decidir não permitir que te atinjam. Você é seu próprio escudo, não deixe que nada chegue ao seu coração, se não for te fazer o bem. E é aqui que o amor próprio entra, ele é a sua muralha, que mantém o que vale a pena e repele o que te faz mal.

É importante sabermos que cada um de nós merece sempre o melhor, o melhor de cada pessoa, atitudes sinceras e honestas. Merece cuidado e respeito em qualquer situação. E quando não tiver essas coisas, que são o básico de qualquer relacionamento, seja na amizade, na família ou romance, qualquer um, apenas recue.

Muitas vezes o que precisamos são de pessoas que lutem por nós, que mostrem o quanto somos importantes. O que nos mantém por perto, e o que nos faz gostar das pessoas a nossa volta, é a forma como elas nos tratam, como nos respeitam e como se esforçam em nos fazer o bem e a querer o nosso bem, ou que ao menos tenham a delicadeza de tentar não nos magoar. E claro, devemos fazer o mesmo por elas.

Mas se assim não for, repito, recue, de meia volta, siga para o outro lado, faça um retorno, um desvio, qualquer coisa. Apenas não fiquei olhando para a imagem que te machuca, relembrando as palavras que te machucaram, ou aguentando o comportamento que te magoa, esperando que façam um pouco mais por você.  Faça por você, você mesma. Devemos de uma vez por todas entender que sempre teremos aquilo que estivermos dispostos a aceitar. Temos que aprender a focar no pão, e não apenas nas migalhas que estão acostumados a nos oferecerem por ai.

Marie Eitz

 

Deixe uma resposta